SERGIPE REDUZ EM 11% NÚMERO DE HOMICÍDIOS NOS PRIMEIROS 5 MESES

Somente na capital sergipana a redução chegou a 20,4% em 2017 comparado ao período de janeiro a maio de 2016

Segundo dados da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (Ceacrim) da secretaria de Estado da Segurança Pública, de janeiro a maio deste ano, Sergipe registrou uma redução de 11% no número de homicídios no estado, quando comparado ao mesmo período de 2016. Se comparado a 2015, a redução chega a 14,7%.  Só na capital sergipana a redução chegou a 20,4% em 2017 comparado ao período de janeiro a maio de 2016. Neste período, aumentou também o número de adultos encaminhados ao Departamento do Sistema Prisional – Desipe pelas forças policiais. Enquanto em 2016 foram 1.537, em 2017 foram 1.658, um crescimento de 7, 8%.

Os dados também revelaram crescimento no número de apreensão de drogas. Foram 287.891 gramas de maconha em 2016 e 431.722 em 2017, um aumento de 50% ; 5.234 gramas de crack em 2016 e 27.308 em 2017, um acréscimo de 421,7%; 145 unidades de ecstasy (metilenodioximetanfetamina – MDMA) em 2016 contra 3.951 em 2017; 1.400 gramas de pasta em 2016 e 2.500 em 2017; e nenhum registro de apreensão de reagentes químicos em 2016 contra 98 unidades apreendidas em 2017.

Segundo o secretário da SSP, João Eloy, o resultado é fruto das ações desenvolvidas pelo governo do Estado na área. “Uma das principais ações implantadas foi o Gabinete de Gestão Operacional – GGO, iniciado em 2016, no qual nos reunimos semanalmente, o Comando da PM, a delegada Geral da Polícia Civil e outros gestores relacionados à área de Segurança, para avaliar os dados coletados pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e Ceacrim e analisarmos a mancha criminal. Investimos em ações para inibir os focos, o principal são os crimes contra a vida. Essa integração entre as forças de segurança pública é essencial para chegarmos a redução da violência no estado”.

A delegada geral da Polícia Civil, Katarina Feitosa, acrescentou que, por meio das análises dos dados coletados, a equipe de segurança consegue direcionar as ações em áreas prioritárias. “A questão de trabalhar com inteligência e dados nos ajuda muito a combater a criminalidade. A prioridade são aquelas localidades que tem a maior mancha criminal, especialmente em homicídios, podemos citar como localidades de prioridade a zona Norte; a zona Sul, que engloba os bairros 17 de Março e o Santa Maria e algumas cidades do interior, com trabalhos mais específicos, como Itabaiana, Lagarto, a Grande Aracaju. Tudo isso voltado ao benefício da população, porque uma vida que é salva para nós é muito importante”.

Investimentos

De acordo com Eloy, outro ponto que merece destaque para obtenção dos resultados foram os investimentos no setor de inteligência da SSP e na polícia preventiva, que é a PM. “Em 2016, a SSP conseguiu estabilizar o crescimento e atingimos uma redução de quase 12%. Focamos na redução de homicídios, na divisão de inteligência, para isso o governo está investindo, realizou o concurso da Perícia, o qual já chamamos quase todos os aprovados, já convocou mais de 200 policiais civis do último concurso e todos aprovados do certame da PM”, disse, acrescentando que a meta da Pasta é chegar a redução de 20% até o fim do ano. “Neste ano, já foram 57 vidas salvas no estado a partir dessa ações. O esforço tem sido grande e pretendemos diminuir ainda mais esses números. Outros estados, que tinham conseguido estagnar, voltaram a crescer, mas aqui o governo do Estado se empenha para que diminuição da criminalidade e dos crimes contra a vida seja ainda maior”, enfatizou João Eloy.

O comandante da Polícia Militar no Estado, coronel Marcony Cabral, ressaltou o direcionamento dado pelo governador Jackson Barreto no sentindo de integrar as ações na área de segurança. “Foi uma diretriz do governador no sentido de exigir uma segurança pública mais integrada e operativa, a partir dai a integração passou a ser nossa pauta principal. O ponto a ser destacado nessa integração foi a criação do GGO, com o qual diminuímos esses entraves burocráticos na comunicação com as forças e nos possibilitou uma troca de informações mais rápidas e também um planejamento, como também uma avaliação semanal das ações que nos implementamos no policiamento como um todo”, explicou.

Para o coronel Marcony Cabral, outra questão determinante foi o investimento do nos profissionais da segurança. “O governo do Estado foi muito feliz no sentido de investir no material humano, a Polícia Militar, por exemplo, teve uma aprovação de uma gama de legislação que possibilitou um acesso na carreira. A modernização da legislação trouxe benefícios como o auxilio de folgas, PTS [Progressão por Tempo de Serviço], implementação de transporte para os policiais do interior do estado e outras mais que foram feitas que valorizaram o que é mais importante nas organizações policiais, que são os próprios policiais”.

Força Nacional

O comandante da PM destacou ainda o quanto a somação de esforços tem contribuído para a diminuição da violência no estado, assim como a chegada da Força Nacional em Sergipe. “A presença da Força Nacional é mais uma somação, inclusive não só a presença dos militares aqui, mas conseguimos armamentos e viaturas, frutos desse convênio existente com a Secretaria Nacional de Segurança Pública – Senasp. Tudo isso tem resultado em uma redução dos índices, além, é claro, do aumento do efetivo, o qual o governador fez um esforço muito grande ao chamar mais de mil novos policiais militares desde quando assumiu. Nós estamos com 230 policiais sendo formados no Cefap, inclusive policiais civis. Essa somação fez que o reflexo fosse justamente essa redução que temos certeza que não é algo gratuito, é fruto de todo um trabalho, um esforço, uma integração e operatividade determinada pelo governador”, disse Marcony Cabral.

Segundo o Comando de Policiamento Militar da capital, com o apoio do batalhão da Força Nacional, desde fevereiro deste ano, foram efetuadas quase 40 prisões em flagrante, oito adolescentes foram apreendidos, dez mandados de prisão foram cumpridos e houve apreensão de 2kg de maconha, 200g de cocaína, algumas pedras de crack e 11 armas de fogo e três simulacros de arma de fogo somente na capital. O reforço policial permitiu ainda que a PM realizasse em conjunto com a Força, 28 mil abordagens nas regiões do 1º Batalhão da Polícia Militar, no Bairro Santa Maria e 8° Batalhão da PM, na zona Norte de Aracaju.

Apesar de não efetuarem blitz, a Força Nacional realiza bloqueios em determinados pontos estratégicos, estabelecidos pela PM/SE, para vistorias de veículos e condutores a fim de identificar drogas ou armas. Além disso, foram realizadas cerca de 800 abordagens a ônibus na capital.

A Força atua diariamente, de domingo a domingo, com quatro viaturas no bairro Santa Maria, e mais oito viaturas em nove bairros da zona Norte de Aracaju, como Cidade Nova, Santos Dumont, Santo Antônio entre outros.

ASN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *