Secult e parceiros discutem o Simpósio do Encontro Cultural de Laranjeiras

Considerado um dos mais importantes eventos culturais do Estado, o Simpósio do Encontro Cultural de Laranjeiras ajuda a preservar a cultura popular brasileira. Localizada a 19km da capital, o município é uma das cidades mais antigas do Estado e abriga manifestações populares e grupos folclóricos como Samba de Pareia, Reisado, São Gonçalo, Lambe Sujo, Caboclinho entre outros. E para tratar da 43ª edição do evento, que deve acontecer nos dias 4, 5 e 6 de janeiro do próximo ano, a Secretaria de Estado da Cultura promoveu uma reunião com gestores da cultura, ativistas culturais e professores da Universidade Federal de Sergipe, que discutiram ideias de como melhor organizar o evento.
O superintendente executivo da Secult, Irineu Fontes, falou sobre a importância do Simpósio para a discussão de políticas públicas para a cultura e lembrou o tema do próximo ano, definido ainda na edição de 2017, que será “Nosso Palco é na Rua”. “Precisamos iniciar esse diálogo e trabalhar o tema para traçarmos todos os passos ao longo desse segundo semestre”, frisou.
Já o secretário João Augusto Gama falou sobre a importância da união de todas as entidades para o sucesso do evento. “Temos aqui pessoas preocupadas com a manutenção da cultura popular em Sergipe e com o sucesso desse Simpósio, que já é marca de Laranjeiras e do Estado de Sergipe”, completou.

Presenças – Participaram do encontro além do Secretário Gama e do superintendente Irineu Fontes, o assessor da Secult, Lindolfo Amaral, a secretária de Cultura de Laranjeiras, Maria Gardênia Almeida e o adjunto da pasta, José Ferreira; a representante do Instituto Banese, Celiene Lima; os representantes da UFS, Gilson Rambelli, Maria Augusta Vargas e Jorgenaldo Calasans; além da pesquisadora de cultura popular, Aglaé Fontes; e os servidores da Secult de Laranjeiras Carlos Alberto e Aldenia do Prado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *