Sargento Moraes torna público que esculhambaram o Forró Caju de 2017

Posição do vereador de Aracaju é por conta da viagem de uma comitiva de colegas a Brasília para tentar a liberação de recursos para o evento.

Sargento Moraes considerou, na quarta-feira (31) uma verdadeira “esculhambação” a viagem de uma comitiva de vereadores de Aracaju a Brasí- lia, de todos os partidos, para tentar a liberação de recursos para realização do Forró-Caju. Segundo ele, “vereadores confundem funções e torram o dinheiro público em viagens”. Moraes diz que não é nenhuma novidade ver foto de vereador, ‘todo orgulhoso’, no meio de autoridades em Brasília. Para ele, as viagens oneram os cofres públicos, “o parlamentar embolsa diárias e, de concreto, pouco acontece, porque vereador não tem peso político em Brasília para barganhar investimentos, ainda mais em época de crise”. Além, disso, sua missão está bem longe do Distrito Federal, disse. Segundo ainda sargento Moraes, “o fato é que Sergipe elegeu oito deputados federais e três senadores justamente para pleitear recursos federais ao Estado. Eles, ao contrário dos vereadores , têm poder de barganhar com o votos no Congresso”.

Mais protestos – Mas não é só o Sargento Moraes que reclama, o Movimento Custo Brasil (MCB) também se mostrou indignado com a ‘romaria’ dos vereadores Thiago Batalha, Palhaço Soneca, Manoel Marcos, Vinícius Porto, Anderson de Tuca e professor Bitencourt a Brasília. Nos cálculos do MCB, a viagem dos vereadores custou aos cofres públicos, “entre passagens aéreas, hospedagem, farra e alimentação algo perto de R$ 56 mil, o que daria, segundo especialista, para contratar 80 forrozeiros a R$ 700 para tocar no Forro Caju”. O movimento MBL afirmou que entrará com representação no Ministério Público para apurar a “farra com dinheiro público e exigir a devolução do que foi gasto”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *