Defensora pública e vereadora Emilia Correia impedida de entrar na Prefeitura de Aracaju

por VEREADOR ELBER BATALHA FILHO, ascom:

O vereador líder da oposição na Câmara Municipal de Aracaju, Elber Batalha. Deu entrada em uma moção de solidariedade à vereadora Emília Correa na manhã desta terça-feira, 20 de junho, no plenário do legislativo. A moção foi foi aprovada em votação nominal com 18 votos a favor e 2 abstenções, do vereador Professor Bittencourt e Evando Franca.

A moção n* 51/2017 diz respeito à grave violação das prerrogativas constitucionais que a parlamentar detém em razão do que dispõe as Constituições Federal, Estadual e a Lei Orgânica do Município. No mês passado, a vereadora Emília foi impedida de entrar na Prefeitura de Aracaju para participar de uma reunião com os gestores, os defensores públicos e os representantes de uma ocupação do 17 de março. Vale ressaltar que Emília Correa também é defensora pública e também tinha o direito de participar da referida reunião. “A porta foi batida em minha cara e fui desrespeitada gravemente pela gestão do prefeito Edvaldo Nogueira, que mesmo depois deste episódio, ainda me denigrem e me difamam em redes socais. Lamentável que essa gestão só saiba agir dessa forma, ofensivamente, não respeitam sequer as mulheres”, desabafou.

Para Elber, autor da moção, É natural haver internamente divergências entre os vereadores mas, enquanto parlamentares, nós não podem em hipótese nenhuma abrir mão da prerrogativa de fiscalizadores e acesso aos prédios públicos. “Naquele momento havia uma discursão pública e a vereadora tinha o direito de participar. Da mesma forma que faço essa moção, nós temos que ser sempre solidários aos colegas, porque assim estamos sendo solidários ao parlamento. Não podemos concordar com especulações sobre nossos colegas, sejam eles da bancada de situação ou oposição, porque isso enfraquece todo o parlamento. Por isso, tenho minhas posições político/partidárias, sou oposição ao prefeito, mas não concordo com nenhuma especulação pejorativa a nenhum membro deste paramento. Quando fui líder do prefeito, aconteceu um fato semelhante e não permiti que o secretário à época destratasse o vereador Juvêncio Oliveira, que estava na bancada de oposição. Essa é uma moção de solidariedade, mas de defesa às prerrogativas deste parlamento que, neste momento, consubstanciada na vereadora Emília Correa foram gravemente feridas por alguns membros da gestão do prefeito Edvaldo Nogueira”, explicou Elber.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *